As atrocidades da tortura na ditadura militar

O realismo do documentário Brazil: A Report on Torture (1971) nos relembra dos atos de barbárie cometidos pela ditadura.

Realizado pelo jornalista americano Saul Landau em parceria com o diretor de fotografia Haskell Wexler, o filme é composto de uma sequência de relatos e simulações das sessões de tortura realizadas pelas próprias vítimas, exilados políticos que viviam no Chile.

O grupo de prisioneiros do regime de exceção libertado em troca do embaixador suíço Giovanni Enrico Bucher havia chegado a Santiago do Chile quando conheceram Landau, que aguardava na cidade sua entrevista com o presidente Salvador Allende.

Entre outros, o documentário entrevista Frei Tito, na época com 25 anos. O religioso da ordem dominicana foi sequestrado em 1969 no convento em que vivia e levado ao DOPS (Departamento de Ordem Política e Social), onde foi torturado por 3 dias seguidos. Tito suicidou-se em 1974 na França.

Outra protagonista do documentário, que também suicidou-se, em 1976 na Alemanha, é a estudante de medicina Maria Auxiliadora Lara Barcelos, que descreve em meio a risos nervosos os intensos choques que sofreu nos seios e na vagina.

O pau-de-arara foi muito utlizado pela ditadura militar

O pau-de-arara foi muito utlizado pela ditadura militar

A brutalidade da tortura do regime militar não tinha limites. O advogado de defesa de alguns militantes de esquerda, Antonio Expedito Pereira, de 40 anos, um dos mais velhos do grupo, narra que sua filha apanhou de torturadores. Sua mulher também foi seviciada para forçar a quebra de sigilo de Pereira sobre os depoimentos de seus clientes.

As vítimas citam vários nomes dos covardes agentes da ditadura. Por onde andam esses sádicos? Garanto que muitos vivem como cidadãos comuns tranquilamente gozando suas aposentadorias.

 

Sou blogueiro, jornalista e criador de conteúdo. Pai de Lorena, santista e obcecado por literatura, cinema, música e política.

Twitter 

4 Comentários

  1. Maurício MP diz:

    A que fala inglês disse `Mangabeira Unger`no nome ou ouvi mal? Provável parente do famoso Mangabeira Unger? Que barbárie isso… pensar que estão todos morrendo impunes… enquanto perseguem o Lula, o Dirceu!! que horror esse país.

    • Oi, Maurício, uma das entrevistadas do documentário é Nancy Mangabeira Unger, irmã de Roberto Mangabeira Unger, professor e ex-ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos no governo Lula. Abs.

  2. Publicado originalmente no CMI (Centro de Mídia Independente)

    Indígenas treinados pelo regime, essa merda de ditadura….

    REVOLT@ M@RGIN@L 02/04/2013 14:20
    subsidiobanda@bol.com.br

    Provavelmente quem acessa o CMI, já deve ter visto esse video ao qual estou deixando esse link, toda vez que eu vejo me enoja como quando alguém diz: “Naquele tempo( da ditadura), era melhor não tinha essa corrupção nem essa bagunça de hoje em dia”. Aqui vemos uma ‘comemoração”, militar? Composta por INDÍGENAS, Treinados para torturar e “morrer pela PÁTRIA. O vídeo é do final dos anos 60.

    http://www.youtube.com/watch?v=H0s4m1WQNmg

Deixe uma resposta