Até a ONU alertou, mas a PEC do Fim do Mundo foi aprovada

por Fernando do Valle

No final da semana passada, o relator da ONU para extrema pobreza e direitos humanos, Philip Alston, alertou que a PEC 55/241 (ou PEC do Fim do Mundo) era uma medida “radical e sem compaixão que iria atar as mãos dos futuros governantes e teria impactos severos sobre os brasileiros mais vulneráveis, além de constituir uma violação de obrigações internacionais do Brasil”. De nada adiantou, a PEC 55 foi aprovada por 53 votos a 16 na segunda votação do plenário do Senado hoje.

Segundo pesquisa Datafolha realizada com 2.828 pessoas entre os dias 7 e 8 de dezembro, 60% dos brasileiros são contrários ao projeto. Apenas 24% se mostraram favoráveis, 4% se disseram indiferentes e 12% não souberam responder.

A votação que aprovou a PEC aconteceu na hora do almoço e no final da tarde de hoje milhares de manifestantes foram às ruas em protestos previamente agendados pelas redes sociais. Em Brasília, o vídeo do The Intercept Brasil  mostra que a repressão começou antes de seu início. A polícia atirou bombas de gás lacrimogêneo além de revistar todos os carros que entravam na área cercada da Esplanadas dos Ministérios. Os manifestantes reagiram queimando pneus, inclusive um ônibus foi incendiado.

#naoapec55

Manifestante diante de ônibus incendiado em Brasília (foto de Joédson Alves da EFE)

Em São Paulo, a manifestação foi agendada às 17h na Praça do Ciclista no final da avenida Paulista. Por volta das 19h30, manifestantes quebraram a fachada da Fiesp. Assista ao vídeo dos Jornalistas Livres

#nãoapec55

Manifestante contra a PEC 55 (fonte: Mídia Ninja

Leia texto do professor Pablo Ortellado que aponta como a PEC beneficia os ocupantes do andar de cima da pirâmide social brasileira. 

Bombas e mais bombas da polícia na manifestação em Brasília:

Sou blogueiro e jornalista. Pai de Lorena, santista e obcecado por literatura, cinema, música e política.

Facebook Twitter