Fantasmas à solta

            Sempre passo por um Uno cinza estacionado próximo à minha casa. No banco traseiro, folhetos com fotos de paradas militares, jornalecos com frases nacionalistas e bandeiras do Brasil. Outro dia, me assustei com um livro no banco traseiro, na capa, uma foto tosca do ex-presidente Geisel e o título: “A verdade sobre Ernesto Geisel”.

             Fui comprar pão e defronte à casa, um senhor de uns 70 e alguns anos com esguicho na mão placidamente a molhar suas plantinhas. Blasfemei em pensamento: “torturador, milico desgraçado, deve ter aprontado todas durante a ditadura e agora aí como se nada tivesse acontecido”.

            Pensei em denunciá-lo ao Levante Popular da Juventude para que recebesse o devido esculacho, mas odeio injustiças. E se ele for apenas um senhorzinho nacionalista em busca de uma ocupação na aposentadoria.

            O Levante encontra a morada de agentes do regime militar e grita aos quatro ventos que naquele endereço habita um criminoso. Foi isso que o Levante fez com o coronel reformado Maurício Lopes Lima, que foi reconhecido pela presidenta Dilma Rousseff como torturador da Operação Bandeirante, no município do Guarujá, litoral de São Paulo. (saiba mais)

            O reacionário de plantão pode me acusar de revanchista. Mas não acho certo um torturador comprar morangos de Atibaia na feira aos domingos numa buena. Cuidado, aquele seu vizinho inofensivo de quarta idade pode ser um sádico torturador. Se for, devia puxar, no mínimo, uns meses em cana comendo rango azedo.

Projeção do executado Herzog no Clube Militar do Rio no dia dos 48 anos do golpe de 64

              O argumento de que os dois lados cometeram crimes e que os movimentos que lutaram contra o regime assaltaram bancos e infringiram a lei mostra apenas uma parcela da verdade. Centenas de”guerrilheiros” passaram o diabo nos porões da ditadura, isso não é pagar?

             Se foi uma guerra, para dizer o mínimo, foi desigual. O poder do Estado e seu organizado sistema de repressão contra uma parte da população que revoltou-se contra a censura e a opressão com baixo preparo militar, com exceções.  (Leia texto “Esquerda já foi julgada e condenada, diz jurista” no blog do jornalista Roldão Arruda em http://tinyurl.com/cpylns8).

            O recente lançamento do livro “Memórias de uma Guerra Suja”, em que o ex-agente da repressão, Cláudio Guerra, mostra como o regime militar não tinha limites. O ex-delegado, agora evangélico, afirma que uma usina de cana de açúcar, em Campos, no Rio de Janeiro, foi usada para incinerar 11 ex-prisioneiros políticos. (Leia mais sobre o livro em matéria “Auschwitz da ditadura” da revista Istoé em http://tinyurl.com/d48basc).

            Mano Brown e seu Racionais Mc’s que acabaram de gravar cilpe de sua música Marighella (ouça em: http://tinyurl.com/7ds8f2d) nos faz relembrar de frase do guerrilheiro mulato: “o homem deve ser livre… O amor é que não se detém ante nenhum obstáculo, e pode mesmo existir até quando não se é livre. E no entanto ele é em si mesmo a expressão mais elevada do que houver de mais livre em todas as gamas do sentimento humano. É preciso não ter medo” (Carlos Marighella).

            Que a instalação da comentada Comissão da Verdade pelo governo nos faça um povo mais em paz com seu passado de terror e morte. Oxalá!

Sou blogueiro, jornalista e criador de conteúdo. Pai de Lorena, santista e obcecado por literatura, cinema, música e política.

Twitter 

20 Comentários

  1. Retirado da polêmica sobre o texto no CMI

    Nem Pilatos nem Hitler estavam sozinhos

    Justificativinha pacovinha 29/05/2012 07:44

    Os militares foram apenas a ponta-de-lança?

    Ah!, tah, Americano. Pilatos, ao ordenar a crucificação de Jesus Cristo, era apenas a ponta-de-lança do povo de Jerusalém. Hitler, ao matar 6 milhões de judeus, era apenas ponta-de-lança do povo alemão.

    Você concorda com a crucificação de Jesus Cristo e com as atrocidades do nazismo?

    Você só concorda parcialmente, né? Hitler deveria ter matado apenas 3 milhões de judeus e Jesus Cristo deveria apenas ter apanhado e ficado preso. Hitler e Pilatos não tinham o direito de fazer mais coisas do que o mandado popular lhe outorgavam poderes, não é?

    Seu fascisitinha, deixa de ser ridículo.

  2. Retirado da polêmica sobre o texto no CMI

    As Madalenas Arrependidas

    Lacerda tomou onde as patas tomam 28/05/2012 16:35

    Lacerda se deu mal. Foi cassado e morto por aqueles que ele apoiou e defendeu.

  3. Retirado da polêmica sobre o texto no CMI
    O Francisco ainda vai ter que rebolar muito por aqui

    Tchan 28/05/2012 13:59

    O Francisco ainda vai ter que rebolar muito para justificar disfarçadamente os crimes dos torturadores.

  4. Retirado da polêmica sobre o texto no CMI

    Revolução com gatos pingados?

    Z 28/05/2012 13:23

    Francisco, pare de manipular os fatos!

    Correndo o risco de ser cansativo, já que não lêem (ou fingem não ler) e ficam repetindo mentiras, de novo: quantos militantes “comunistas” realmente existiam antes ou mesmo depois de 1964? No máximo uns 300. A guerrilha do Araguaia em seu auge teve no máximo uns mil guerrilheiros. Acha que com esse número de “combatentes” iriam derrubar o governo, derrotar os exército e implantar o comunismo? Acha que os militares não sabiam exatamente quantos eram? Se liga, mané!!!

    Esclareça então porque os milicos tentaram dar o golpe 10 anos antes (em 1954) com a crise que resultou no suicídio do Getúlio. Vai afirmar que existiam guerrilhas nessa época também?

    Ora, claro que ninguém “mandou os militares ficarem 20 anos no poder” porque eles é quem mandavam seu idiota! Acha que uma ditadura vai ficar perguntando se querem ou não que eles fiquem?

    O golpe em si já foi um ato ilegal, pois Jango foi democraticamente eleito e não cabia aos milicos interferir no processo e derrubá-lo. Algo que começa de forma ilegal não poderia mesmo terminar bem…

    Não adianta tentar dourar a pílula e agora posar de democrata, pois se você apoia algo ilegal e, principalmente, os métodos ilegais que aplicavam, você também é cúmplice e apoiador de torturas e assassinatos, a não ser que você seja um alienado e alegue não saber de nada. Alguém que elogie o nazismo implicitamente também está elogiando o extermínio e o genocídio. Deixe de ser covarde e se assuma como tal!!!

    Você é só mais um idiota histérico que acha que o mundo estava infestado de comunas, até debaixo da sua cama. Foram esses idiotas inúteis que possbilitaram transformar o século XX no mais violento da História.

    O resto é conversa mole pra boi dormir.

  5. Retirado da polêmica sobre o texto no CMI

    A Rata Amarela com gripe suina respondeu

    Red Rat 28/05/2012 13:22

    Um Historiadorzinho que chama o depoimento do Jacob Gorender como confissão da Resistência é muito sem credibilidde. Quem instituiu o Jacob Gorender como o porta-voz oficial da Resistência?

    A Rata vem falar que o Clodomir de Morais admite até hoje a veracidade dos relatos da Rata. Que História mais chupa-cabra. Ele escolhe uma fonte para suas narrativas e diz que suas narrativas são verdades unicamente com base nessa única fonte. Se a fonte admite as coisas para ganhar dinheiro ou porque foi torturada, não importa.

    A Rata nada disse sobre a armação no sequestro do Abilio Diniz. Tirou o rabicó da reta. Espertinho, hein?

    Quanto ao ataque dos ratos ao Comunismo, isso é normal.

    “Elogio ao Comunismo
    Bertolt Brecht

    Ele é razoável. Todos o compreendem. Ele é simples.
    Você, por certo, não é nenhum explorador. Você pode entendê-lo.
    Ele é bom para você. Informe-se sobre ele.
    Os idiotas dizem-no idiota e os porcos dizem-no porco.
    Ele é contra a sujeira e contra a estupidez.
    Os exploradores dizem-no um crime,
    mas nós sabemos
    que ele é o fim dos crimes;
    ele não é a loucura e sim
    o fim da loucura.
    Não é o caos e sim
    uma nova ordem.
    Ele é a simplicidade.
    O difícil de fazer.

    Já, já o rato DIGO EU vai inventar 100 bilhões de vítimas do comunismo. Aguarde que a Rata sai já do buraco.

  6. Retirado da polêmica sobre o texto no CMI

    Demorei, mas voltei

    Francisco 28/05/2012 12:45

    Pelo visto há novas postagens em reação aos meus comentários. Vamos lá:

    DIZ O Z: “O pior é que suas próprias palavras só corroboram a verdade: que não havia clima revolucionário nenhum, grupo guerrilheiro nenhum e que tudo não passou de histeria e psicose anti-comunista alimentada pelos próprios milicos e reacionários para justificar o golpe e a ditadura!!!”

    DIGO EU: Havia clima revolucionário sim. Quem admite isso é o próprio Jacob Gorender, que na época integrava a Direção do PCB. Em seu livro intitulado “Combate nas trevas”, ele revela com todas as letras que “nos primeiros meses de 1964, configurou-se uma situação pré-revolucionária que pôs em xeque a ordem capitalista e a propriedade privada, constituindo a fase mais aguda da luta de classes no Brasil. A burguesia e o latifúndio tinham razões de sobra para agir antes que o caldo entornasse”. Se a situação revolucionária justificava ou não a ação dos militares é outra história, mas que ela existia, existia. É fato confesso.

    DIZ O Z: “Quanto ao Nelson Rodrigues, certamente ele deve ter se arrependido amargamente por apoiar a ditadura, pois seu filho Nelson Rodrigues Filho foi preso e torturado em 1972, ficando preso até 1979, tendo Nelson Rodrigues diversas vezes intercedido junto às autoridades para manter o filho com vida”

    DIGO EU: Óbvio que Nelson Rodrigues se arrependeu. Muita gente boa apoiou a ação dos militares num primeiro momento, incluindo Gilberto Freyre, Rachel de Queiroz, Ulisses Guimarães e Carlos Lacerda. As lideranças políticas civis e a imprensa em sua maioria também. Depois se arrependeram e se voltaram contra o Regime, porque NINGUÉM MANDOU OS MILITARES FICAREM 20 ANOS NO PODER. O acordo era depor Jango e promover eleições em 1966. Os militares não fizeram o 31 de Março sozinhos. O 31 de Março foi fruto da ação conjunta de jornalistas corajosos, parlamentares combativos, lideranças religiosas, empresários, etc. Os militares foram apenas a ponta-de-lança. Portanto, não tinham o direito de USURPAR os rumos do Movimento de 31 de Março e se perpetuar no poder. Quando o Congresso declarou a destituição de Jango e elegeu o Marechal Castelo Branco, o acordo era que ele ficasse até 1966 e promovesse eleições. Esse era o acordo: “Vocês militares farão um governo transitório para limpar o terreno e depois entregarão o poder a nós, políticos civis”. A partir do momento em que Castelo Branco baixou o AI-2 (27/10/1065), dissolvendo os partidos existentes e prorrogando seu próprio mandato, rompeu ILEGITIMAMENTE o acordo que serviu de base para o 31 de Março. E assim as lideranças autenticamente democráticas que apoiavam seu governo passaram a combatê-lo, inclusive o grande Carlos Lacerda, o inflamado orador e líder que serviu de mola propulsora para 1964. Portanto, Nelson Rodrigues e outras lideranças decentes (leia-se não comunistas) estavam cobertos de razão em se arrepender. Eu também me arrependeria.

    DIZ O RED RAT: “Então, o golpe militar, as torturas, assassinatos, censuras, etc. se justificam porque havia guerrilha comunista antes de 64, e uma prova dessa suposta guerrilha foi o tiroteio entre ‘guerrilheiros’ e agentes do Departamento Federal de Segurança Pública e a apreensão de panfletos junto com armas, em 1962, em Divinópolis-GO, tendo do FFSP estourado o campo de treinamento das Ligas Camponesas. É isso?”

    DIGO EU: Não. A existência de guerrilha antes de 1964 não justifica a truculência dos militares. A existência de guerrilha e interferência soviética antes de 1964 TIRA A MORAL DOS COMUNISTAS PARA FALAR DOS MILITARES. Eu posso falar mal dos milicos PORQUE TENHO MORAL, pois não sou comunista nem apoiei a ditadura militar. Vocês comunas não podem, porque tudo que eles fizeram de errado a partir de 1964 vocês já estavam fazendo ANTES DE 1964, inclusive recorrer à violência armada contra o Estado Democrático e pedir auxílio de potências estrangeiras.

    DIZ O RED RAT: “Ora, Anta de Babydoll, esses factos não passam de armações da burguesia e de seus lacaios para justificarem seus golpes baixos, suas torturas, suas carnificinas, suas censuras e eternização dos seus privilégios”.

    DIGO EU: Armação? Então por que o próprio Clodomir de Morais admite até hoje a veracidade do que se narrou acima? Leia as memórias e entrevistas dele.

    DIZ O RED RAT: “Eles fingem de tudo para não largarem o osso e ainda têm ratas amarelas que os apóiam, e você é um apoiador e defensor desses torturadores”.

    DIGO EU: Te desafio a mostrar um só parágrafo meu em que eu tenha defendido qualquer torturador comunista ou fardado. O que eu faço é atacar os comunas e mostrar que eles são mais canalhas do aqueles que todos os seus inimigos, no Brasil e no mundo. Não podem falar mal de ninguém, pois são cúmplices e autores das piores tiranias e genocídios do século XX. E se começarem a falar mal de Satanás, podem ter certeza que vou mostrar e provar que são piores que Satanás. Isso não significa que eu goste do diabo. Significa apenas que tenho nojo dos vermelhos.

  7. Retirado da polêmica sobre o texto no CMI

    Armações Toscas

    Red Rat fazendo a rata amarela 28/05/2012 11:27

    Então, o golpe militar, as torturas, assassinatos, censuras, etc. se justificam porque havia guerrilha comunista antes de 64, e uma prova dessa suposta guerrilha foi o tiroteio entre ‘guerrilheiros’ e agentes do Departamento Federal de Segurança Pública e a apreensão de panfletos junto com armas, em 1962, em Divinópolis-GO, tendo do FFSP estourado o campo de treinamento das Ligas Camponesas. É isso?

    Se levarmos às últimas conseqüências os ‘argumentos’ desse rato amarelo de esgoto, devemos chegar à conclusão que, em 1989 havia uma guerrilha petista, pois o empresário Abílio Diniz foi sequestrado e os sequestradores estavam vestidos com camisas do PT e tinham panfletos da campanha presidencial do Lula.

    Ora, Anta de Babydoll, esses factos não passam de armações da burguesia e de seus lacaios para justificarem seus golpes baixos, suas torturas, suas carnificinas, suas censuras e eternização dos seus privilégios. Eles fingem de tudo para não largarem o osso e ainda têm ratas amarelas que os apóiam, e você é um apoiador e defensor desses torturadores.

    Porque os Militares não deram outro golpe baixo após o sequestro do Abílio Diniz?

    Responde, Rata Amarela com gripe suina.

  8. Retirado da polêmica sobre o texto no CMI

    Chiquinho é um mentiroso!!!

    Z 28/05/2012 08:26

    Ora, grande resposta, hein Francisco! Quer dizer que a sua justificativa para não ter ocorrido nada foi que os comunas eram “covardes”? Covarde é você que foge da raia e não responde!

    De novo, seu farsante: não ocorreu nada porque nada iria acontecer! Os milicos sabiam que os militantes comunistas eram poucas centenas e JAMAIS poderiam enfrentar as forças do Exército seu idiota! Essas declarações citadas eram bravatas do Francisco Julião!

    Acha que os milicos derrubaram Jango baseados apenas em bravatas? Só se fossem trouxas como você!

    O pior é que suas próprias palavras só corroboram a verdade: que não havia clima revolucionário nenhum, grupo guerrilheiro nenhum e que tudo não passou de histeria e psicose anti-comunista alimentada pelos próprios milicos e reacionários para justificar o golpe e a ditadura!!!

    Quanto ao Nelson Rodrigues, certamente ele deve ter se arrependido amargamente por apoiar a ditadura, pois seu filho Nelson Rodrigues Filho foi preso e torturado em 1972, ficando preso até 1979, tendo Nelson Rodrigues diversas vezes intercedido junto às autoridades para manter o filho com vida.

    http://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/Jango/biografias/nelson_rodrigues

    “Em carta publicada no Jornal do Brasil em meados de 1979, Nelson Rodrigues dirigiu-se diretamente ao presidente da República, João Batista Figueiredo (1918-1999), num tom que misturava lirismo e cáustica ironia sobre a clandestinidade, a prisão e a tortura do filho, e pediu a anistia nestes termos: ora, um presidente não pode passar por um amanuense. Há uma anistia. Tem que ser uma anistia histórica. O que não é possível, presidente, é que seja uma anistia pela metade. Uma anistia que seja quase anistia. O senhor entende, presidente, que a terça parte de uma misericórdia, a décima parte de um perdão não tem sentido. Imagine o preso chegando à boca da cena para anunciar: ? ?Senhoras e senhores, comunico que fui quase anistiado??.

    http://www.revistadehistoria.com.br/secao/artigos/ilustres-militantes

    Vai se danar,Francisco, arquétipo do direitista burro, mentiroso e rancoroso!!!

  9. Retirado da polêmica sobre o texto no CMI

    Os verdadeiros covardes

    É fácil pensar 28/05/2012 07:40

    Os Comunistas fizeram os torturadores tremerem na base e se tremerem todinhos. Cerca de 80 guerrilheiros mobilizam um exército inteiro e fazem muitas baixas.

    Quem são os verdadeiros covardes, os Comunas ou os Torturadores, Francisco?

  10. Retirado da polêmica sobre o texto no CMI

    Francisco, o cara de saco com 3 bolas e o nariz de Cleópatra

    Gabriel 28/05/2012 07:26

    “O nariz de Cleópatra”
    Fubá 23/03/2012 18:20

    Vocês conhecem a “teoria do nariz de Cleópatra”. Dizem que se Cleópatra tivesse um nariz grande, Marco Antônio não teria se apaixonado por ela e a história do ocidente seria totalmente diferente. É uma história absurda que ajuda a ilustrar algo que não devemos fazer: adivinhar um futuro previsível a partir de fatos que não aconteceram. Dizer o que aconteceria se os militares não tivessem tomado o poder, é isso. No entanto, se analisarmos os fatos, a ditadura e extremamente condenável de qualquer ponto de vista.

    Há, e por favor… não me venham com maniqueísmos. A Guerra Fria já acabou…”

    http://prod.midiaindependente.org/pt/green/2012/03/505391.shtml

    “Pensaduras

    Papo-cabeça do Pittboy Lincoln Gordon, embaixador americano que articulou o golpe de 1964, diz que o Porco do Bill ajudou os golpistas por achar que o Brasil ia virar mais uma Cuba. E se virasse, o que é que tinham com isso? Em todo caso, as esquerdas jamais chegariam ao poder pelas armas. No dia do golpe, milhares caíram presos completamente desarmados. O argumento de Gordon é irmão do argumento dos pittboys que espancaram a doméstica Sirley no Rio porque acharam que ela era mais uma prostituta. E se fosse, o que é que eles tinham com isso?”

    Milton Severiano, Caros Amigos

  11. Retirado da polêmica sobre o texto no CMI

    Teria ocorrido, mas comuna é tudo medroso

    Francisco 27/05/2012 22:11

    DIZ O CARA ACIMA: “Acha que se tivessem mesmo 100 mil combatentes de esquerda não teria ocorrido uma guerra civil no Brasil, de consequências imprevisíveis?”

    DIGO EU: Os “revolucionários” das Ligas Camponesas e dos Grupos dos 11 teriam promovido uma guerra civil no confronto que prometiam travar com o Exército, se não fossem uns COVARDES. Na hora dos “vamos ver”, correram feito ratos para os bueiros. De 1961 a 1964 provocaram os milicos até não poder mais, mas foi só os fardados baterem o pé no chão que se escafederam pedindo asilo nas embaixadas. O próprio dramaturgo Nelson Rodrigues escreveu um artigo no Jornal do Brasil dizendo o seguinte: “Quem ouvia os discursos dos comunistas naquela época imaginava que em 1964 os brasileiros estavam prestes a andar pelas ruas com sangue pelas canelas. Quando o veio o 31 de março, o que se viu não foi a guerra civil nem o caos, foi uma ressaca, como se na véspera o Brasil estivesse embriagado e agora acordasse da bebedeira”. Grande Nelson Rodrigues!! Dele é a famosa frase: “Devemos a Marx o fabuloso despertar dos idiotas”. Há dois livros fundamentais que trazem as crônicas políticas de Nelson Rodrigues, ambos publicados pela editora Companhia das Letras: “O reacionário” e “A cabra vadia”. Vale a pena comprar.

  12. Retirado da polêmica sobre o texto no CMI

    Outra mentira!!!

    Z 27/05/2012 20:52

    Esse caras continuam mentindo descaradamente!

    Então responda à pergunta!!!

    Você acha que o Exército não tinha um serviço de inteligência e sabia exatamente o que se passava no país? Acha que os militares não sabiam exatamente quantos militantes comunistas existiam e quais grupos supostamente “revolucionários” atuavam no país?

    E por que eles derrubaram Jango sem disparar um único tiro?

    Eu mesmo respondo: PORQUE NÃO EXISTIAM PORRA DE GRUPOS GUERRILHEIROS NENHUM!!! E o Exército sabia disso!!! Era interesse deles criar um clima de instabilidade para justificar o golpe!

    Essas declarações citadas não passavam de bravatas do Brizola e do Julião!

    Acha que se tivessem mesmo 100 mil combatentes de esquerda não teria ocorrido uma guerra civil no Brasil, de consequências imprevisíveis?

    A verdade é que desde 1954 (dez anos antes do golpe) os milicos já queriam tomar o poder, como o episódio do suicídio do Getúlio Vargas confirma! E naquela época não existiam grupos guerrilheiros nenhum!

    Mentirosos!!!

  13. Retirado da polêmica sobre o texto no CMI

    Essa foi a pergunta que os comunas e milicos fizeram em 64

    Francisco 27/05/2012 14:57

    DIZ O COMENTÁRIO ACIMA: “Se existiam os tais grupos guerrilheiros antes de 1964, porque não deram o golpe ANTES? Outra coisa: porque não reagiram ao golpe em 64? Se tinham esse poder de fogo todo, porque não reagiram?”

    DIGO EU: Essa foi exatamente a pergunta que os comunistas e militares se fizeram em 31 de março de 1964, quando as Forças Armadas conseguiram tomar o poder sem disparar um tiro. Isso porque os discursos que Leonel Brizola, Luiz Carlos Prestes e Francisco Julião fizeram de 1962 a 1964 davam a entender que eles tinham um poder de fogo enorme. Em 1962 Francisco Julião chegou a gritar num palanque que as Ligas Camponesas tinham 100 mil homens prontos para ocupar o Nordeste inteiro e derrotar todo o IV Exército. Em 4 de janeiro de 1964 Brizola deu uma entrevista à rádio no Rio Grande do Sul dizendo que os “Grupos dos 11″ estavam de prontidão para esmagar os reacionários. O CGT dizia ser capaz de paralisar o País em 24 horas. Quando veio o 31 de março, o que se viu foi uma debandada geral. Não houve greve geral, não houve barricadas, não houve tiroteio com as Ligas Camponesas, nem nada. Se você ler as memórias escritas pelos generais e coronéis da época, verá que eles ficaram surpresos com a facilidade da operação, porque todos eles previam que haveria resistência armada. O Gen. Antonio Carlos Muricy, por exemplo, calculava que a deposição de Jango custaria três meses de luta e 5.000 mortos em combate. Alguns previam até 6 meses de luta. O único que acertou na previsão foi o Golbery, que disse: “Vai cair igual uma jaca madura”. O PCB fez uma autocrítica após o golpe, atribuindo o fracasso de 1964 aos “erros de avaliação, superestimação das próprias forças, falta de ligação das massas e precipitação das iniciativas”. Pesquise que você vai encontrar.

  14. Retirado da polêmica sobre o texto no CMI
    Mentira!

    Z 27/05/2012 14:11

    Esses dois vagabundos aí de cima MENTEM DESCARADAMENTE! Se existiam os tais grupos guerrilheiros antes de 1964, porque não deram o golpe ANTES?

    Outra coisa: porque não reagiram ao golpe em 64? Se tinham esse poder de fogo todo, porque não reagiram? Eles poderiam fazer isso, a se acreditar nas fantasias revolucionárias dos psicóticos de plantão.Os milicos derrubaram Jango e tomaram o poder sem disparar UM tiro sequer!

    E mesmo que existissem os tais grupos guerrilheiros, não é e nunca foi justificativa pra ditadura nenhuma.

    Vão distorcer e mentir na casa do caralho seus otários!!!

  15. Retirado da polêmica sobre o texto no CMI
    O tiroteio de Divinópolis em 1962, comuna mentiroso!

    Francisco 27/05/2012 13:58

    DIZ O RATO VERMELHO ACIMA: “Essa guerrilha não existia. Aponte algum enfrentamento da guerrilha com alguma das Forças Armadas antes de 1966. Claro que você não vai apontar, simplesmente porque não houve guerrilha antes de 66″

    DIGO EU: Houve sim, seu mentiroso!!! Em 3 de novembro de 1962 o DFSP (Departamento Federal de Segurança Pública, antecessor da PF) estourou um campo de treinamento guerrilheiro das Ligas Camponesas em Divinópolis (GO), trocou tiros os facínoras que ali estavam e prendeu alguns deles, inclusive Clodomir de Moraes.

    O mais patético desse episódio é que o DFSP cercou e invadiu o sítio achando que era um esconderijo de contrabandistas. O caráter guerrilheiro das instalações só foi percebido porque junto com as armas havia panfletos, uniformes e um bilhete do diplomata soviético Anatole Chandrin, Chefe da Seção Consular da Embaixada da URSS no Brasil. Dias depois a Embaixada admitiu a autenticidade do bilhete e Chandrin foi declarado persona non grata pelo Itamaraty, tendo deixado nosso País logo em seguida. A perícia da Polícia comprovou que as armas provinham da Alemanha Oriental. Isso saiu em todos os jornais do Brasil de novembro de 1962, inclusive a Folha, a Última Hora, o Correio Braziliense e o Estadão. Você vai pesquisar ou prefere que eu escaneie as matérias e poste aqui no CMI para esfregar na sua cara?

    PS: Em março de 2003, Clodomir de Moraes deu uma entrevista ao jornal comunista “A Nova Democracia”, no qual reafirmou o caráter guerrilheiro e revolucionário das Ligas Camponesas, que nas palavras dele, “não alimentavam as ilusões da estratégia de acumulação de forças pregada pelo PCB”. Em outras palavras, acreditavam em impor o socialismo na PORRADA.

  16. Retirado da polêmica sobre o texto no CMI

    Guerrilha, inda + guerrilha invisível, não justifica o golpe

    Se a guerrilha tivesse começado 16 anos antes 27/05/2012 07:07

    A guerrilha, ainda mais a guerrilha invisível, que ninguém dá noticia de seus atos de guerra, a imprensa não falou, não justifica a covardia dos generais mercenários do exército.

    Essa guerrilha não existia. Aponte algum enfrentamento da guerrilha com alguma das forças armadas antes de 1966?

    Claro que você não vai apontar, simplesmente porque não houve guerrilha antes de 66, e se não houve, não há nenhum ato de guerrilha antes disso.

    Dãããããããã. Você não toma castaniodo.

  17. Retirado da polêmica sobre o texto no CMI
    Vermelhos covardes

    Vou postar sempre que você falar dos outros 27/05/2012 00:59

    O entreguismo e a vassalagem dos comunas brasileiros aos seus patrões da URSS, China e Cuba é FATO COMPROVADO. Essa corja a soldo de Pequim e Moscou INICIOU A GUERRILHA NO BRASIL ANTES DE 1964!! ISSO QUEM ADMITE SÃO OS PRÓPRIOS LIVROS ESCRITOS PELOS COMUNAS:

    (1) Se você quiser saber como Cuba fornecia rádios, fardas, dinheiro e treino militar a militantes das Ligas Camponesas desde 1962, leia o livro “História das Ligas Camponesas” (Ed. Iattermund), deixado por Clodomir de Morais, um dos líderes das Ligas. Ele inclusive dá a localização dos campos de treinamento clandestinos em Goiás, Recife, etc.

    (2) Se quiser saber mais sobre o mesmo assunto, leia “O apoio de Cuba à luta armada no Brasil” (Ed. Mauad), escrito pela historiadora petista Denise Rollemberg, que entrevistou vários ex-terroristas que atuaram ANTES e depois de 1964.

    (3) Aliás, já em 1958, Francisco Julião (outro líder das Ligas Camponesas) viajou à URSS, onde pediu (e obteve) o desembarque clandestino de 1.000 metralhadoras no Nordeste para fazer a revolução comunista. Quem revelou isso foi o ex-general soviético Oleg Ignatiev em entrevista a Geneton Morais, no livro “Dossiê Brasil” (Ed. Objetiva).

    (4) Três anos depois (1961), Francisco Julião ainda enviou militantes das Ligas Camponesas à China para treinamento guerrilheiro, conforme revelou o historiador comunista Luiz Mir no livro “A revolução impossível” (Ed. Best Seller).

    (5) Se você quiser saber mais sobre a interferência de potências comunistas no Brasil antes de 1964, pode ler também o livro “Salvo-conduto” (Ed. Garamond), do sindicalista Paulo Mello Bastos, exilado após a Contra-Revolução. No livro, após narrar uma viagem que fez à URSS em 1961 junto a uma delegação do PCB, ele confessa que “em 1963 todos conspiravam para derrubar o governo, inclusive as esquerdas”.

    (6) Outra obra elucidativa é “O retrato” (Ed. Globo), do comunista arrependido Oswaldo Peralva, onde ele narra episódios repugnantes de vassalagem do PCB aos dirigentes soviéticos, o que contribuiu para sua desilusão.

  18. Retirado da polêmica sobre o texto no CMI
    Velhinhos covardes

    * 26/05/2012 12:15

    Os golpistas de 64 além de usar e abusar do aparato do Estado para massacrar o povo também tiveram a ajuda (e que ajuda) do tio sam. Sem essa ajuda talvez eles se acovardassem.

  19. Vida longa aos “milicos de pijama” que restam, para que possam prestar contas à sociedade brasileira de suas atrocidades. Infelizmente demorou muito para ser instaurada a Comissão da Verdade e vários dos verdugos “notáveis” já bateram as botas de caducos, como o Erasmo Dias e muitos dos octagenários de alta patente, que infelizmente gozaram um fim pacato de “bons velhinhos” que nunca mereceram.

    E uma grande banana à todas as “viúvas da Ditadura”, que durante estes anos todos se esgueiram pelos becos para mostrar a cara suja e deslavada e o dedo em riste autoritário em momentos históricos pontuais, arrotando que “tempo bom” era o dos anos de chumbo!

    • Fico revoltado com a desfaçatez de alguns milicos que tiveram a audácia de comemorar o “aniversário” do golpe no Clube Militar no Rio neste ano. Torturadores e assassinos têm que responder pelos seus atos, mesmo octagenários, centenários…

Deixe uma resposta