Fascistas, no pasarán

por Fernando do Valle

Após as demonstrações explícitas de fascismo nas ruas no último dia 16, muitos internautas voltaram a utilizar a expressão “não passarão” (em espanhol, no pasarán) para rechaçar o ódio da extrema direita. Vale lembrar a origem dessa expressão.

Popularizada pelos republicanos na luta contra os franquistas na Guerra Civil Espanhola (1936-1939), há indícios de que a expressão surgiu na Primeira Guerra Mundial da boca ou do general francês Robert Nivelle ou de seu comandante Philippe Pétain em uma estratégia de batalha.  

no pasarán

Faixa contra o fascismo em Madrid (1937)

Em 1936, a militante republicana Dolores Ibárruri, mais conhecida como La Pasionaria, utilizou o lema em discurso contra o avanço das tropas fascistas do general Franco na capital espanhola. Ela a retirou de um cartaz dos republicanos produzido pelo artista Ramón Puyol. Outra expressão conhecida e muito usada nos embates políticos é também creditada a Dolores: “para viver de joelhos, é melhor morrer de pé”.

O curioso apelido La Pasionaria surgiu por iniciativa da própria Dolores, que assinou seu primeiro artigo na imprensa operária com o pseudônimo. Era Semana Santa.

Franco venceu a guerra na Espanha, mas o slogan continuou popular entre as tropas aliadas na guerra contra o nazi-fascismo. La Pasionaria continuou na luta e foi uma das principais opositoras à ditadura franquista. Em 1960, passou a presidir o Partido Comunista Espanhol e, em 1977, dois anos após a morte de Franco, foi eleita deputada com 82 anos.

la pasionaria antifa

Discurso de La Pasionaria

pussy riot no pasarán

Integrante da banda russa Pussy Riot, Nadezhda Tolokonnikova, veste camiseta com o conhecido lema

A banda punk polonesa Blade Loki canta a música No pasarán. Como aposto que você não entende polonês, clica aqui para entender a letra, aviso que a tradução não é boa:

Sou blogueiro e jornalista. Pai de Lorena, santista e obcecado por literatura, cinema, música e política.

Facebook Twitter 

Deixe uma resposta