O efeito do patriarcado sobre o feminino – para entender a “Revolta das Mina”

por Luca Valente

Através de todas as tragédias e confrontos que infelizmente atingem nosso cotidiano, o ser humano vislumbra um caminho de cura e união. Para a busca da melhor percepção do nosso tempo, é bacana entendermos a consequência do patriarcado sobre a psique feminina e seu espírito e como, ao longo da história, o feminino foi oprimido pela voz, crenças e práticas do patriarcado.

FEMININO = MULHER = YIN

PATRIARCADO = MASCULINO = YANG

A mulher/feminino tem sido despojada de seu valor e importância no equilíbrio da vida, sua voz e valor foram negadas e censuradas. ELA foi ridicularizada e zombada por sua sabedoria feminina, visão intuitiva e crenças. Sua inteligência ou direito de pensamento tem sido, por todos, questionada. A expressão de seu mundo emocional tem sido usada para seu descrédito.

À mulher é negada a dignidade da expressão legítima, autêntica e natural de sua feminilidade, é tolhida sua própria integridade feminina e soberania sobre seu ser feminino.

O feminino, na história da humanidade, que aprendemos na escola, FOI e ainda é humilhado e menosprezado, sendo deixado à própria sorte, nos restando a súplica pelo valor do feminino e nossa luta pela igualdade de tratamento. A mulher e o feminino foram sistematicamente torturados, estuprados, abusados, objetificados, brutalizados, sexualizados, descartados, diminuídos e prejudicados.

A mulher foi queimada na fogueira, afogada como uma bruxa, e torturada em sua consciência. Desta forma a mulher, existência após existência, geração após geração, renunciou a sua INTUIÇÃO, VOZ e VISÃO feminina. Com isso, tornou-se vacilante e aterrorizada, abriu mão de sua força em aquiescência, conformidade, silêncio e submissão.

O Retorno do Sagrado Feminino

Durante vidas e mais vidas através dessa experiência coletiva, na psique das mulheres em todo o mundo, o patriarcado fez com que a existência perdesse seu equilíbrio e com isso, toda a harmonia na terra foi abalada, causando consequências desastrosas à vida.

feminismo foto 1

E o feminino, pela negação implacável de seu valor inerente e valor pessoal, passou a viver em profundo conflito, confusão e alienação com seu próprio Ser: seu coração, sua voz, sua sexualidade, seu corpo, sua expressão, seu valor e sua confiança dentro de si mesma.

Ser mulher tornou-se maldição.

E, vivendo dentro de um sistema desequilibrado e em conflito consigo mesmo, as mulheres passaram a viver também em conflito umas com as outras.

E assim, a verdadeira energia do Sagrado Feminino e essência – majestade, soberania, esplendor, mistério e sabedoria – tornou-se encoberta e reprimida, perdendo-se na escuridão, raiva, rancor, vergonha e tristeza.

Com isso TODOS perdem. O Yin se perde no Yang e o Yang obscurece o Yin.
A gravidade do dano causado à Energia do Feminino pelo patriarcado, por anos e anos de sofrimento, causaram feridas profundas no DNA da própria humanidade. Assim, por causa do ferimento sofrido por toda a vida por mulheres, os homens, a Mãe Terra – Gaia, Sophia e todas as criaturas da vida – como um resultado da supressão da expressão do Sagrado Feminino – pagam um alto preço.

Agora essa ferida é sofrida, universalmente, por todos que têm vida. E assim, para curá-la, é preciso buscar a reparar os fragmentos rasgados da consciência divina e sagrada do Feminino que existe dentro de todas as mulheres e homens e toda a Vida, aí incluso o masculino, claro.

Devemos procurar recuperar o que foi descartado, censurado, abusado e negado porque o que foi negado é tão precioso e valioso para o equilíbrio de toda a vida na terra.

Mulheres e homens são pessoas e pessoas são só pessoas, iguais.

Vamos dar uma chance ao feminino.

Vamos prestar atenção NAS MINA, PÔRRA!!!

Luca Valente

Humanista e eterna otimista, iniciei minha carreira no universo corporativo e após 15 anos, cai na real, vi que minhas ideias eram avançadas e que semeá-las em terreno já tão desgastado seria uma perda de tempo. Resolvi procurar minha turma, pessoas que como eu, acreditam no jogo do Ganha x Ganha, na solidariedade, um novo momento e que uma nova ordem é possível e, que como eu, querem fazer a diferença. Assim, montei uma ONG que oferece educação complementar através da pedagogia Waldorf para mais de 200 adolescentes da Cohab Raposo Tavares. Criei o projeto Democratizando a WEB 2.0, que libertou a criatividade de mais de mil jovens do Jardim São Luís através da web.

Deixe uma resposta