Protestos ocupam aeroportos nos Estados Unidos

por Elaine Tavares

Centenas de pessoas participaram de protestos nesse final de semana, em vários aeroportos dos Estados Unidos, contra a prisão de inúmeros estrangeiros que chegaram ao país com vistos válidos, mas que acabaram detidos por conta da ordem executiva do presidente Trump, que proíbe a entrada de imigrantes.

Os protestos foram ouvidos pela justiça, através da juíza federal Ann M. Donnelly, que expediu uma decisão permitindo que as pessoas detidas nos aeroportos fiquem no país, apesar do veto do presidente. Aqueles que estão com os vistos válidos entrarão e ficarão, ainda que numa situação de “estadia de emergência”.

protestos Trump

Protestos nos aeroportos dos Estados Unidos contra as medidas xenófobas de Trump

Os imigrantes que estão proibidos pelo presidente de entrar no país são de países como o Iêmen, Iraque, Irã, Líbia, Síria, Sudão e Somália, e não é coincidência que esses países ou sejam considerados inimigos pelos EUA, como é o caso do Irã e Iêmen, ou tenham sido destruídos pelos EUA em invasões violentas como a Líbia, Iraque e Síria, ou estejam sob ataque e intervenção como o Sudão e a Somália.
A ordem da juíza federal de uma estadia de emergência teve como base a garantia do direito de ir e vir e os princípios dos direitos humanos. Segundo ela, o envio dessas pessoas de volta para os países de origem poderia causar um “dano irreparável”. Ela fixou a data de dois de fevereiro para uma audiência na qual se abordará novamente o caso. Até lá, aqueles que foram detidos serão liberados e poderão ficar no país.

A justiça atendeu a uma ação impetrada pela União Estadunidense pelas Liberdades Civis (ACLU, sigla em inglês) que considerou inconstitucional a medida presidencial que visa vetar a viagem de pessoas com vistos válidos, com o argumento vago de “luta contra o terrorismo”. Desde que a ordem presidencial foi assinada já se contabilizavam mais de 200 pessoas detidas nos aeroportos.
Base do estado liberal, a luta pelos direitos civis é muito respeitada nos Estados Unidos e levou os estadunidenses a inúmeros protestos, não apenas nos aeroportos, mas também nas ruas. Desde que Donald Trump tomou posse e iniciou seu programa de governo, que contém ataques aos direitos civis, as mobilizações só têm crescido. As entranhas silenciosas do império se movem.

 

Jornalista. Humana, demasiado humana. Filha de Abya Yala, domadora de palavras, construtora de mundos, irmã do vento, da lua, do sol, das flores. Educadora, aprendiz, maga. Esperando o dia em que o condor e a águia voarão juntos, inaugurando o esperado pachakuti.

Twitter 

Deixe uma resposta