Os grampos do juiz Sérgio Moro incendeiam o país

por Fernando do Valle

Em uma jogada midiática, o juiz Sérgio Moro divulgou ontem interceptações de conversas telefônicas de Lula com Dilma, Jaques Wagner e Eduardo Paes após a confirmação de que o ex-presidente assumiria a Casa Civil do governo federal. Difícil enxergar algo de grave nas conversas. Foi necessário muito jogo de cena e manipulação da imprensa, que acontece agora da forma cada vez mais deslavada, para que se justifique a revolta pelo que foi falado no grampo do magistrado de Curitiba.

Vivemos em tempos sombrios em que uma República paralela instalada na capital paranaense decide os rumos políticos do país e em que conversas privadas do alto escalão do executivo sobre a difícil conjuntura política atual são utilizadas com evidentes propósitos políticos por parte do judiciário e pela grande imprensa.

Uma rápida conversa entre a presidenta Dilma e o ex-presidente Lula foi gravada mesmo após Moro ter suspendido os grampos. Por volta de 12h17 de ontem o juiz comunicou às operadoras de telefonia a suspensão dos grampos, mas as gravações foram realizadas mais tarde. (leia matéria no blog Tijolaço). Mesmo assim, os grampos foram prontamente enviados à TV Globo pelo juiz ou pela polícia federal.

grampos lula

O ex-presidente Lula teve seu sigilo quebrado pelo juiz Moro

Existe ainda a possibilidade de que Moro grampeou o telefone de Dilma, o que tornaria o ato do juiz ainda mais grave.  Fica claro na gravação que é Dilma quem liga para Lula. Ouça o grampo:

Aqui vale uma ressalva, Moro agiu respaldado pelas suas “costas quentes” na imprensa e setores do empresariado, sua presença nos últimos meses em dois eventos da associação LIDE, que reúne donos de importantes companhias brasileiras e capitaneado pelo prefeitável paulistano tucano João Dória Junior, já indicavam o apoio de forças poderosas às atitudes destrambelhadas, para dizer o mínimo, do juiz.

Na manifestação do último domingo, no dia 13 de março, a figura mais incensada não foi nenhum político da oposição e sim Sérgio Moro. O mais constrangedor foi assistir artistas da Globo no protesto em um tal de MoroBloco com direito à camiseta com a estampa do juiz.

moro prêmio rede globo

O juiz Sérgio Moro (centro) recebe prêmio “Faz Diferença” do proprietário da Rede Globo, João Roberto Marinho (direita) em 2014

Moro já havia grampeado Lula após sua condução coercitiva ao Aeroporto de Congonhas para um depoimento no mínimo no dia 4 de março: (Escute no post do Coletivo de jornalismo Mariachi).

O filósofo Renato Janine Ribeiro fez uma boa reflexão pelo facebook sobre a questão ética e a quebra de privacidade do grampo: “A qualquer momento, um policial e um juiz podem mandar gravar você. Você, empresário, psicólogo, o que seja. Conheço psicólogos que atendem pelo telefone. Podem ser grampeados – e com boas razões, porque, afinal, há clientes que superfaturam ou corrompem, e que contam isso ao terapeuta…. Leia o restante.

Há conflitos na avenida Paulista, 0 que demostra que o momento é delicado. Devemos preservar as garantias constitucionais e o Estado Democrático de Direito, essa é uma responsabilidade de todos.

Sou blogueiro e jornalista. Pai de Lorena, santista e obcecado por literatura, cinema, música e política.

Facebook Twitter 

Deixe uma resposta